BEM VINDO A TODOS!

sábado, 2 de fevereiro de 2013

UM HOMEM DE DEUS EM DEPRESSÃO



ADMEP – ASSEMBLEIA DE DEUS – MINISTÉRIO ESTUDANDO A PALAVRA

EBD - ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CRISTÃ



UM HOMEM DE DEUS EM DEPRESSÃO
03 de Fevereiro de 2013


TEXTO ÁUREO

“Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos”.
(II Co 4. 8, 9)

VERDADE PRÁTICA

Os conflitos de Elias o levaram a enfrentar períodos de depressão e tristeza. Mas o Senhor ajudou-o superar.


Leitura Bíblica em Classe:

I Reis 19. 2 - 8

INTRODUÇÃO: -  A depressão, apesar de ser uma doença antiga, recentemente, ela vem atraindo tanto a atenção pública que alguns estão chamando nossa época de "era da melancolia". A depressão é algo que todos experimentam até certo ponto e em períodos diferentes da vida, até um homem de Deus como Elias experimentou. Ela tem sido  considerada como "o sintoma psiquiátrico mais comum", encontrado tanto em caráter temporário "na pessoa normal que passou por uma grande decepção" como na "profunda depressão suicida do psicótico".

I.   O QUE É DEPRESSÃO?

O Dicionário Aurélio diz que depressão é o "ato de deprimir-se; abatimento moral ou físico; letargia; a sensação de sentir-se deprimido; desalento; redução da vitalidade funcional; estado anormal de inércia e emoção desagradável".

1.1 Os Sintomas da Depressão. São muito variados, indo desde as sensações de tristeza, passando pelos pensamentos negativos até as alterações da sensação corporal como dores e enjoos. Contudo para se fazer o diagnóstico é necessário um grupo de sintomas centrais, tais como:



Perda de energia ou interesse;
Humor deprimido;
Dificuldade de concentração
Alterações do apetite e do sono
Lentidão das atividades físicas e mentais;
Sentimento de pesar ou fracasso;
Pessimismo;
Dificuldade de tomar decisões;
Irritabilidade ou impaciência;
Inquietação;
Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer;
Chorar à-toa ou ter dificuldade para chorar;
Sensação de que nunca vai melhorar desesperança;
Persistência de pensamentos negativos.
1.2         As Causas da Depressão

Tudo se passa gradualmente, não necessariamente com todos os sintomas simultâneos, aliás, é muito difícil ver todos os sintomas juntos atuando em uma pessoa. Esses sinais são um alerta do organismo dizendo que tem alguma coisa errada e que precisa de atenção. O diagnóstico tem que ser feitos por profissionais da área que possa dar um parecer veredicto e clinicar a doença. Nem todas as causas da depressão são bem definidas. Há causas físicas, ambientais, psicológicas, emocionais e muitas outras. Entretanto, algumas delas já são bastante conhecidas, conforme veremos a seguir:
·        Ressentimento (Mt 18.22);
·        Mágoa (Ef 4.31; Hb I2. 14-15);
·        Ira (Ef 4.26);
·        Perdas (SI 46.1-11; 121.1-2; 125.1).

Elias era humano e estava sujeito aos mesmos sentimentos (Tg 5. 17). Vejamos as causas e os sintomas da depressão de Elias. As causas da depressão: Oposição obstinada de Acabe e Jezabel (1 Rs 19:3) e a frustração(1 Rs 19: 4). Os sintomas da depressão: Alteração nos hábitos alimentares(1 Rs 19: 6); desejo de fugir, pois a fuga da realidade é outro sintoma muito comum inclusive experimentado pelo profeta (1 Rs 19: 9) e por fim, a desilusão (1 Rs 19:10).      
                                               
II.    ELIAS E SUA LIMITAÇÃO HUMANA       

O apóstolo Tiago destacou em sua epístola a dimensão humana do profeta Elias. O profeta era homem, e, estava também sujeito aos sentimentos peculiares aos seres humanos (Tg 5.17). A Bíblia nos mostra coisas importantíssimas sobre Elias que nós parecemos esquecer:

·       Elias era um homem comum. Ele não era um anjo, ou um semideus, mas um homem que mesmo com todas as suas fragilidades amava a Deus (1 Rs 19.3). Devemos ser crentes espirituais, mas não esquecendo de que ainda habitamos neste tabernáculo (2 Pe 1.14). Elias também era humano ele estava sujeito aos “mesmos sentimentos”. Elias não era apenas espiritual, era também sentimental!;

·       Elias não apenas fugiu, ele também se isolou. “Ele mesmo, porém, se foi ao deserto” (1 Rs 19.4). Essa é uma marca de uma pessoa deprimida ela busca o isolamento;

· Elias queria morrer. “E pediu para si a morte” (1 Rs 19.4). Os psicólogos observam que este é um sintoma de uma pessoa com depressão profunda. Ela perde o encanto pela vida. Elias, portanto, precisava urgentemente da ajuda do Senhor;

·       Elias não queria se matar. O desejo de morrer não significa desejo de se matar. Há diferença entre sentir o desejo de morrer, não querer continuar a viver, e o desejo de se matar. Elias pede que Deus tire a vida dele, que na verdade é uma forma de ter a vida terminada, mas sem a própria participação.

III.          ETAPAS DA DEPRESSÃO DE ELIAS

Um breve esboço da estadia do profeta Elias no Monte Horebe ou Sinai, que é uma espécie de resumo do que foi dito até aqui, pode ser dado como segue:

·       Elias entrando na cavernaDecepção (1 Rs 19.2) e medo (1 Rs 19.3);

·  Elias dentro da caverna.Fuga (1 Rs 19.3); isolamento (1 Rs 19.4); autopiedade (1 Rs 19.10); desejo de desistir e morrer (1 Rs 19.4,18);

·  Elias saindo da caverna. A figura da caverna pode ser aqui um símbolo de conflitos que o profeta enfrentou. O socorro do Senhor chegou até o profeta na forma de provisão espiritual (l Rs 19.9-15).


IV.   ASPECTOS DA DEPRESSÃO DE ELIAS

É interessante notar a frequência com que este assunto é tratado nas Escrituras. “Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim”? (Sl 42.5; 11) Isso nos leva à conclusão que é um problema comum, e que parece ter afligido o povo de Deus desde o princípio, pois tanto o AT como o NT o descrevem e o tratam naturalmente. Vejamos alguns aspectos da depressão que o profeta Elias enfrentou:

·       Elias quis ficar sozinho (1Rs 19.3-4). “... e de Judá deixou ali o seu moço. E ele foi ao deserto”;

·       Elias sentiu-se fracassado (1Rs 19.4). “Já basta, toma agora, ó Senhor, a minha alma...”;

·       Elias sentiu-se desanimado (1Rs 19.4). “... e assentou-se debaixo de um zimbro”

·       Elias perdeu o sentido de viver (1Rs 19.4). “... e pediu em seu ânimo a morte;”

·       Elias sentiu solidão (1Rs 19.10;14). “Eu fiquei só...”;

·       Elias enfrentou perigo físico (1Rs 19.14). “... e procuraram tirar-me a vida”;

·       Elias sentiu-se menosprezado (1Rs 19.4). “... pois não sou melhor do que meus pais”.

V.    COMO DEUS TRATOU DE ELIAS
                                                                                                                       Deus nunca abandonou seu profeta. O Senhor tratou com Elias, tanto com amor como também com compreensão. Podemos ver um bom exemplo disso nas palavras do salmista (Sl 103.13-14). Elias superou seu estado depressivo, porque Deus o mandou para o lugar de revelação no Monte Horebe. “o monte de Deus” (1Rs 19.8), o monte de Deus é um lugar de tratamento espiritual, físico, psicológico e emocional. Vejamos os resultados do tratamento de Deus na vida do profeta
·       Deus lhe concedeu uma boa alimentação (1Rs 19.6). “E olhou, e eis que à sua cabeceira estava um pão cozido sobre as brasas, e uma botija de água; e comeu, e bebeu...”

·       Mesmo depressivo Elias recebeu uma boa noite de sono (1Rs 19.6). “...e tornou a deitar-se.”

·       Deus lhe concedeu mais uma boa alimentação (1Rs 19.6-7). “E o anjo do SENHOR tornou segunda vez, e o tocou, e disse: Levanta-te e come, porque te será muito longo o caminho.  Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força daquela comida caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus”.

·       Deus restaurou sua visão (1Rs 19.13). “... e eis que veio a ele uma voz, que dizia: Que fazes aqui, Elias?”

·       Deus renovou sua vocação (1Rs 19.15). E o SENHOR lhe disse: Vai, volta pelo teu caminho...”

·       Deus renovou as suas forças (1Rs 19.8).Levantou-se, pois, e comeu e bebeu; e com a força DAQUELA COMIDA caminhou quarenta dias e quarenta noites até Horebe, o monte de Deus”.

·       Deus renovou seu ministério (1Rs 19.15-18). “... e, chegando lá, UNGE a Hazael rei sobre a Síria. Também a Jeú, filho de Ninsi, UNGIRÁS rei de Israel; e TAMBÉM a Eliseu, filho de Safate de Abel-Meolá, UNGIRÁS PROFETA...”

VI.        COMO PODEMOS SUPERAR A DEPRESSÃO

·       Confiando em Deus. A confiança em Deus é o melhor antídoto para evitar a depressão.  Por isso, em meio as dificuldades e problemas enfrentados no dia-a-dia, devemos depositar a nossa esperança em Deus, acreditando no seu amor, no seu poder e na sua soberania (Sl 20. 7,8; 46.1-11; 121.1,2; 125.1; SI 46.1);

·       Entregando o caminho ao Senhor. A Palavra de Deus nos assegura que, se entregarmos o nosso caminho ao Senhor  e confiarmos nEle, tudo Ele fará (Sl 37.5). Entregar o caminho significa colocar nas mãos de Deus os problemas, a família, o lar, o emprego, a empresa, os estudos,  o casamento, os desejos e os sonhos. É lançar sobre Ele toda a nossa ansiedade, porque Ele tem cuidado de nós (1 Pe 5.7). Deus é fiel! Ele vela pela sua palavra (Jr 1.l2b; Is 55.11). Ele trabalha para os que nele esperam (Is 64.4);

·       Utilizando as armas espirituais. A palavra de Deus nos diz que “... as armas da nossa milícia não são carnais, mas, sim, poderosas em Deus, para a destruição das fortalezas” (II Co 10.4). Diante das adversidades, devemos tomar posse das nossas armas espirituais, tais como: Fé (Mt 17.20; 21.21; Hb 11.1,6; I Jo 5.4); Jejum (Et 41.16; II Cr 20.3; Ed 8.21; Jn 3.5); Oração (I Sm 1.12; At 12.5; Tg 5.17; Rm 12.12); Palavra de Deus. (Sl 119. 16, 28, 50, 107; Hb 4.12).       
                                                                                                  

CONCLUSÃO - Todos nós estamos sujeitos a enfrentar momentos de perda, decepções, sentimentos de culpa, etc, que podem nos levar a ficar deprimidos. Porém, a nossa confiança e submissão à Deus, bem como a vida de intimidade e comunhão com Ele, nos fará superar toda e qualquer dificuldade, inclusive, a depressão.

REFERÊNCIAS
·         DILLARD, Raymond B. Fé em face da apostasia: o evangelho segundo Elias e Eliseu. CULTURA CRISTÃ.
·         GONÇALVES, José. Porção dobrada: uma análise bíblica, teológica e devocional sobre os ministérios proféticos de Elias e Eliseu. CPAD.
·         STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal.  CPAD.
 COLABORAÇÃO PARA O PORTAL ESCOLA DOMINICAL - PROF. PAULO AVELINO

Nenhum comentário: