BEM VINDO A TODOS!

sexta-feira, 11 de março de 2011

A VISÃO DO LIVRO SELADO COM SETE SELOS E A DO CORDEIRO


Apocalipse 5. 1 – 14

Introdução:

Caps. 4.1 – 5. 14. Deus aparece numa bela cena de adoração como o Rei do céu e da terra. Está rodeado por coortes angelicais (1 Rs 22. 19; Jó 1.6; 2. 1; Sl 89. 6 – 7; Ez 1; Dn 7. 9 – 10). Seu governo foi estabelecido na criação (4. 11), é exercido no panorama da História (6. 1 – 22. 5), é conduzido à plenitude através do Cordeiro (cap. 5; 22. 1) e é celebrado com cânticos de louvor (1.6).

O Apocalipse é basicamente um livro sobre Deus e sua grandeza. Os segredos da história e da batalha espiritual centram-se no próprio Deus. Todo o Universo destina-se a ser preenchido com a glória (21. 22 – 23), a bondade (22. 1 – 5) e o louvor de Deus (5. 13). Portanto, a forma do desfecho da história é revelada aqui resumidamente (Mt 6. 10).

Quando o povo de Deus sofre por causa de tentação ou perseguição, uma revelação do caráter e da glória de Deus é o melhor remédio. Seu poder garante a vitória final, sua justiça garante a defesa do direito, sua bondade e magnificência garantem bênção e conforto. O sangue do Cordeiro demonstra que a redenção já foi efetivamente realizada.

Obs. 4. 11 – o objetivo deste capítulo está resumidamente neste versículo: todas as criaturas do céu e da terra louvarão e honrarão a Deus porque Ele é o Criador de todas as coisas e aquele que as sustenta.

Cap. 5. 1 – 14. – João relata nos caps. 4 – 5 duas partes de uma única e magnífica visão da glória de Deus. Um segundo ato dramático da visão é introduzido em 5. 1. A ação transfere o foco da Criação em 4.11 para a Redenção e a restauração. Os propósitos da redenção e do governo de Deus somente podem ser realizados através daquele que é incomparavelmente digno – JESUS CRISTO.

Ele é, simultaneamente, o Leão feroz da tribo de Judá, lutando contra os inimigos de Deus (Ap 17. 14; 19. 11- 21), e o manso Cordeiro que foi morto, aquele que comprou seu povo com o sangue de seu sacrifício de expiação vv. 9 – 10).

Somente Deus, na plenitude da sua trindade, pode cumprir esses grandes propósitos.

Observe a presença do Pai (“daquele que estava sentado no trono”, vs. 1, 7), do Filho (“Cordeiro”, vs 6 – 7) e do Espírito de Deus (v. 6; 1. 4), o qual é os chifres e os olhos do Cordeiro.

Esse capítulo constitui a cena introdutória do primeiro ciclo de juízos que conduzem à Segunda Vinda de Cristo. O Cordeiro e o livro selado são apresentados. A abertura dos selos em 6. 1 – 8.1 acionam uma série de juízos que se originam no trono e no propósito de Deus e termina com a sua manifestação final como Juiz. Ver notas em 6. 12 – 17 e 8. 1 – Bíblia de Estudo de Genebra.

Apocalipse 5.1 Livro: O livro pode representar várias coisas: a aliança de Deus, sua lei, suas promessas, seus planos ou talvez uma vontade legal. O estreito paralelismo com Dn 12. 4 torna possível que o livro seja celeste, contendo o plano de Deus e o destino do mundo.

A abertura do livro significa a realização das coisas pertencentes aos propósitos de Deus.

João chora (v.4) porque anseia pela realização dos propósitos de Deus (Mt 6. 10) e porque percebe a dificuldade de como eles se realizarão. No entanto, através do sacrifício decisivo de Cristo, uma multidão é redimida (v. 9) e os propósitos do êxodo e do domínio original do homem finalmente são cumpridos (v. 10).

Cap. 5. 6: Como tendo sido morto. “Como” é usado porque o Cordeiro foi morto, mas agora está vivo “pelos séculos dos séculos” (1. 18). Os propósitos de Deus para a história podem se concretizar somente com base na morte e na ressurreição de Jesus Cristo.

Sete chifres. Chifres freqüentemente representam poder (Sl 89. 17; 92. 10; Dn 7. 8; 8. 3). Neste caso, representam o poder do Espírito de Cristo pleno da vida eterna (Jo 3. 34; Rm 8. 11; I Co 15. 45).

Cap. 5.9 – toda Tribo, Língua, Povo e Nação. Na batalha espiritual, tanto Deus como Satanás reivindica fidelidade em escala Universal. (7. 9; 10. 11; 11. 9; 12. 5; 13. 7; 14. 6, 8; 15. 4; 17. 15; 18. 3; 19. 15; 20. 3). Através do mérito e do poder do sacrifício de Cristo os propósitos de Deus serão realizados, cumprido a promessa feita a Abraão de abençoar todas a Nações (Ap 7. 9 -17; 21. 24 – 27; Gn 12. 3; 22. 18; Is 60. 1 – 5).

Ap 5. 10 – Reino e Sacerdotes.

Ap 5. 11- 14: Louvores que começaram nos círculos internos de adoração ao redor do trono agora se expandem até encherem o Universo.

Ap 5. 14 – O cenário do cap. 5 mostra que somente o Cordeiro Jesus Cristo, é digno de abrir o livro ou pergaminho (os eventos da história). Jesus, e não Satanás é quem detém o futuro. Jesus Cristo está no controle de tudo, e somente Ele será digno de dar Início aos acontecimentos dos últimos dias da História.

Glória Jesus!

Nenhum comentário: