BEM VINDO A TODOS!

quarta-feira, 16 de março de 2011

PLANTAS DA BÍBLIA

Abeto e pinheiro

A madeira dessas árvores sempre verdes, que cresciam nas montanhas e colinas, foi utilizada na construção do templo, em convés de navios e na fabricação de instrumentos musicais (Ez 27. 5).

Acácia

Madeira da qual foi feita a arca da aliança para o tabernáculo. É uma das poucas árvores que crescem no deserto do Sinai (Êxodo 25. 10).

Amendoeira

Foi a primeira árvore frutífera a florescer em Israel. O seu fruto, além de alimento apreciado, fornecia óleo. A referência mais conhecida é a da vara de amendoeira de Arão que floresceu e produziu frutos no espaço de uma noite. Ainda há a referência à vocação de Jeremias e à visão da amendoeira (Nm 17. 8; Jr 1. 11).

Canela

Óleo destilado da casca da árvore homônima e usada para condimentar alimentos e vinho (Ct 4. 14; 8. 2).

Cardos, espinhos e cizânias

Cardos silvestres e espinhos são abundantes em terras áridas como Israel: mais de 120 espécies, algumas das quais com mais de dois metros de altura. Espinhos, como os representados aqui, foram usados para fazer a coroa de escárnio de Jesus durante seu processo. A cizânia da parábola do trigo e das ervas daninhas é o joio que no início se assemelha exatamente ao trigo (Gn 3. 18; Mt 13. 7; 24 – 30; Mc 15. 17).

Carvalho

Absalão ficou preso nos galhos de um carvalho quando fugia do rei Davi. Isaías utilizou a figura do carvalho para simbolizar a justiça, a santidade e a perpetuidade do povo de Deus (2 Sm 18. 9, 10; 1 Rs 13. 14; Is 2. 13; 61. 3).

Cedro

Árvore bela e gigantesca do Líbano que outrora crescia em grandes florestas. No tempo de Salomão, o rei Hirão de Tiro exportava cedros em grande quantidade. Podia ser esculpida e decorada, tendo servido para revestir o templo e o palácio de Salomão ( 1 Rs 6. 10; 7.12; Ez 27. 5).

Cevado, trigo, painço, espelta

Constituíam boa parte da alimentação do Israel antigo. O trigo fornecia a farinha e o pão, sendo usado para o pão oferecido pelos sacerdotes a Deus. A cevada, que amadurece antes do trigo e, por isso, colhida no começo do verão, era o alimento dos camponeses mais pobres. A espelta é um tipo pobre de trigo, e o painço, que se parece com o centeio, fornece o pior pão. Ezequiel menciona-o como alimento apropriado em tempo de carestia (Êxodo 9. 31, 32; Ez 4. 9).

Cominho e aneto

As sementes do cominho eram utilizadas para temperar a carne e também como remédio para os olhos. Os fariseus ofereciam a Deus um décimo de tudo, até dos temperos – menta, cominho, aneto – mas, segundo Jesus, descuidavam-se do essencial: honestidade, justiça, misericórdia (Is 28. 25 – 27; Mt 23. 23).

Favas e lentilhas

A fava pode ser cozida como verdura ou seca e reduzida à farinha. A lentilha cresce em pequenas vagens chatas, semelhantes às das ervilhas, é de cor avermelhada e geralmente usada em sopas ou cozidos (como o prato preparado por Jacó para Esaú), mas também pode ser seca e reduzida à farinha (Gn 25. 34; 2 Sm 17. 28; Ez 4. 9).

Fel e absinto

O fel é talvez o suco da papoula do ópio (Sl 69. 21; Mt 27. 34). O absinto tem gosto amargo e é usado na Bíblia como símbolo da dor e da amargura (Ap 8. 11).

Figueira e sicômoro

O figo era um fruto importante nos tempos bíblicos. O pastor e profeta Amós cultivava sicômoros. A árvore na qual Zaqueu subiu para ver a Jesus era uma espécie de figueira, um sicômoro (Am 7. 14; Lc 19. 4; Lc 13. 6-9).

Hissopo

Na cruz apresentaram a Jesus uma esponja embebida em vinagre e colocada num maço de hissopo. No Antigo Testamento, o hissopo era usado para aspergir o sangue dos sacrifícios e na vigília da Páscoa (Êx 12. 21. 22; Jó 19. 29).

Incenso

Resina que se obtém descascando o tronco da árvore homônima e perfurando-o. Exala um perfume suave quando aquecido ou queimado. Foi um dos presentes oferecidos a Jesus pelos magos (Êx 30. 34-38; Lv 2. 1, 15, 16; Mt 2. 11).

Linho

As roupas de linho são feitas de uma planta de flores azuis, que atinge cerca de 45 cm de altura. O linho também era usado para as velas dos bancos. No Egito e em Israel, servia para envolver cadáveres e para confecção de roupas finas (Êx 26. 1; Js 2. 6; Pv 31. 13; Ez 27.7; Mc 15. 46; Jo 19. 40).

Lírio do Campo

Quando Jesus falou dos lírios do campo talvez estivesse pensando nas flores em geral, e não apenas em uma espécie em particular. Na primavera, as encostas das colinas da Galiléia cobrem-se de flores de cores vivas e variadas: anêmonas, açafrão, papoulas, narcisos e crisântemos amarelos (Ct 5. 13; 6. 2, 3; Mt 6. 28).

Mamoneira

Talvez tenha sido a planta que cresceu rapidamente para abrigar Jonas do sol causticante. Era um arbusto que se caracterizava pelo rápido crescimento (Jn 4. 6).

Maná

O milagre de Deus foi enviar tanto maná quanto possível para alimentar uma multidão de aproximadamente três milhões de pessoas. O maná só deixou de ser enviado depois que os israelitas começaram a colher os frutos da terra. (Êxodo 16. 1 – 10)

Mirra

Era usado como condimento, remédio e para a obtenção do óleo santo do tabernáculo e do templo. Os magos trouxeram-na como presente a Jesus. Quando da crucificação, fora oferecida ao Salvador, como analgésico, misturada a uma bebida. José e Nicodemos embalsamaram o corpo de Jesus com mirra e aloés (Êx 30. 23, 24; Mt 2. 11; Mc 15. 23; Jo 19. 39, 40).

Mostarda

A planta geralmente tem 120 cm de altura, mas pode chegar até 460 cm. Jesus disse que o reino de Deus é semelhante a um minúsculo grão, se desenvolve e se transforma numa árvore. Provavelmente, referia-se à mostarda preta, cujas sementes eram cultivadas para a obtenção de óleo e como tempero (Mt 13. 31, 32).

Nardo

Desta planta, que cresce na Índia, extrai-se um ungüento de perfume suave. Era importado por Israel em jarras de alabastro seladas para conservar o perfume. Foi este o precioso presente derramado profusamente por Maria em Jesus (Ct 4. 14; Mc 14. 3; Jo 12. 3).

Oliveira

Uma das maiores culturas do antigo Israel. A maior parte era levada em cestos às prensas, de onde se extraia seu azeite. O azeite de oliveira era utilizado pela culinária, como combustível para as lamparinas e como loção emoliente para a pele. No antigo Israel também era utilizado para ungir reis e sacerdotes, simbolizando a escolha e a separação para uma missão especial. Foi uma das árvores mencionadas no apólogo de Jotão. A oliveira pode viver centenas de anos. Sua madeira pode ser esculpida e polida, servindo em obras ornamentais como no templo de Salomão (Dt. 24. 20; Jz 9. 8; I Sm 10.1; I Rs 17.12-16).

Palmeira (tamareira)

Em Israel, a palmeira tornou-se símbolo nacional de vitória; nos Salmos, o justo é comparado a uma palmeira. O povo agitou suas folhas quando Jesus entrou triunfalmente em Jerusalém.

Papiro

Planta da família das ciperáceas, que crescia em terrenos alagadiços do Delta do Nilo (e ainda cresce ao norte de Israel), da qual se fazia o papel do mundo antigo. Grande parte dos originais da Bíblia foi escrita sobre papiros. Também eram usados para fabricar embarcações e cestos (como aquele em que Moisés foi colocado), cordas e sandálias.

Romãzeira

A sua figura era bordada em torno da orla da veste do sumo sacerdote e esculpida nas pilastras do templo de Salomão (Êx 28. 33; 1 Rs 7. 20).

Rosa

Provavelmente, refere-se ao narciso (Is 35. 1) ou à tulipa das montanhas (Ct 2. 1).

Salgueiro e álamo

Os salgueiros são arbustos ou árvores baixas. O álamo branco cresce rapidamente e faz muita sombra. Os salgueiros da Babilônia, ao lado dos quais os exilados faziam suas lamentações, eram provavelmente um tipo de álamo. Jacó descascou ramos de álamo para enganar Labão (Gn 30. 27; Sl 137. 2).

Videira

Os exploradores de Moisés trouxeram enormes cachos de uva como sinal de fertilidade da terra da promessa. O vinho novo era colocado em odres novos ou em recipientes de cerâmicas, onde fermentava. A videira era um emblema nacional de Israel, símbolo de paz e prosperidade. Jesus usou-a em cinco de suas parábolas e descreveu-se a si mesmo como verdadeira videira, da qual dependem os ramos – seus seguidores (Nm 13. 20 – 24; Mt 9. 17; 20. 1 – 6; Jo 15. 1).


Geografia Bíblia (Apostila do Curso) - Profª. Maria Valda

Nenhum comentário: