BEM VINDO A TODOS!

sábado, 1 de março de 2014

“UM LUGAR DE ADORAÇÃO A DEUS NO DESERTO”

ADMEP – ASSEMBLEIA DE DEUS MINISTÉRIO ESTUDANDO A PALAVRA

 EBD - Escola Bíblica Dominical
Departamento de Educação Cristã


     







                                                           
                                                                Tema

   “UM LUGAR DE ADORAÇÃO A DEUS NO DESERTO”

02 de Março de 2014


TEXTO ÁUREO

E me farão um santuário, e habitarei no meio deles”.
(Êxodo 255. 8)


VERDADE PRÁTICA

Deus deseja habitar entre nós, para que Ele seja o nosso Deus e para que nós sejamos o seu povo.


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:

Êxodo 25. 1 - 9


Objetivos

§  Compreender – as instruções para a construção do Tabernáculo.
§  Elencar os utensílios presentes no pátio do Tabernáculo.
§  Compreender que o Tabernáculo representava o lugar de habitação de Deus em pleno deserto.


Introdução:Deus queria habitar no meio de Israel. Por isso, ordenou a Moisés que, juntamente com todo o povo, construísse um lugar separado para adoração. Trata-se doTabernáculo do Senhor, um santuário móvel que acompanhou os hebreus durante sua longa peregrinação pelo deserto. Na lição de hoje, estudaremos como ocorreu a construção desse lugar santo de adoração ao Senhor.


I.          AS INSTRUÇÕES PARA A CONSTRUÇÃO DO TABERNÁCULO


1)    O Propósito Divino. – O propósito ou objetivo divino era aumentar e fortalecer os laços de comunhão com seu povo Israel, que Ele libertara do poder de Faraó no Egito.  (Jo 14. 21, 23).


§  O Tabernáculo: – era o Santuário portátil onde os hebreus  guardavam e transportavam a arca da aliança e demais utensílios sagrados. (Êxodo 25. 9):

§   Tabernáculo, falando englobadamente, é explicado no N.T, como típico de três  maneiras: 1) - da Igreja como uma habitação de Deus através do Espírito (Êx 25. 8; Ef 2. 19 – 22); 2) – do Crente (II Co 6. 16); e 3) - como uma figura das coisas Celestes (Hb 9. 23 – 24).


§   Êx 25. 9:  - Esse termo significa habitação” designando um palácio ou templo. Esse tabernáculo prefigurava a habitação de Deus com os homens na pessoa de Jesus Cristo (Jo 1. 14).

2)    As Ofertas. – “Ouro, e prata, e bronze”Quanto mais próximo estivesse a presença de Deus, mais finos eram os materiais requeridos.  Metais e fios coloridos são alistados segundo uma ordem decrescente de valores.  (Êxodo 25. 1 – 8; 35. 35. 4 – 5; 21 – 29; 36. 5 – 7). O Tabernáculo seria construído pelo povo de Deus, com recursos que receberam pela providência divina ao saírem do Egito (Êx 3. 21, 22; 12. 35, 36).

Para a construção do Tabernáculo os israelitas ofertaram voluntariamente e com alegria. O Senhor não não se agrada de quem entrega a sua oferta e dízimo contrariado ou por obrigação (Ml 3. 10). De nada adianta contribuiir com relutância e amargura.

3)    Tudo Segundo a Ordenança Divina (Êxodo 25. 8, 9, 40). - O tabernáculo NÃO foi uma invenção humana. Em Êxodo 25, o próprio Deus instrui a Moisés quanto à planta e os objetos do templo móvel. Todo o Tabernáculo apontava para o sacrifício de Cristo na cruz do Calvário. (Hb. 9. 8 – 11). Deus exigiu que o tabernáculo fosse construído exatamente de acordo com os padrões divinos.  Se essa verdade se aplica à construção física, (tabernáculo) muito mais importante é edificar congregações (pessoas) em nome de Cristo de acordo com o modelo divino do NT!


SINOPSE DO TÓPICO (1)

As instruções para a construção do Tabernáculo foram rigorosamente acatadas por Moisés segundo a ordenança divina. (Êxodo 25. 9).


II.          O PÁTIO DO TABERNÁCULO:

      O Átrio era um espaço retangular ao redor do Tabernáculo, mais ou menos de 50 metros por 25 m. Era fechado por cortinas feitas de linho retorcido, suspensas sobre 60 colunas, 20 em cada lado e 10 nas extremidades. As 4 colunas ao lado oriental formavam a entrada. Estas quatro colunas falam da Universalidade (quatro direções) do Evangelho e a entrada plena para o povo de Deus.

A.          O Pátio. – (Êx 27. 9).

1)          A Entrada do Átrio: Os israelitas precisavam aprender a forma correta de se chegar à presença de Deus e adorá-lo. Para entrar no átrio, o indivíduo deveria se dirigir à única porta (assim como Cristo é o único caminho para o Pai; Jo 14. 6; At 4. 12).

2)       Havia Somente uma Entrada.“Não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não há outro nome dado entre os homens, em que devamos ser salvos”. Atos 4. 12.

3)  A Largura – Vinte cúbitos (mais ou menos 10 metros) Suficiente para todos. Representa Cristo, a Porta. João 10. 7 – 9. [Os quatro Evangelhos assim apresentam Jesus.]

4)    As Cortinas - Feitas de linho fino, retorcido, de estofo azul, púrpura e escarlata. Tipos da justiça, pureza e natureza celestial de Jesus Cristo.

B.          O altar dos holocaustos. – [Êxodo 27. 1 – 8; 38. 1 – 7; 39. 33, 39, 43; 40. 6, 10, 29; 30.28.] Altar de madeira de cetim”.  - Significa um “lugar elevado”.  – O Altar do holocausto (aproximadamente 2,20 m de comprimento x 2,20 m de largura x 1, 30 m de altura).


§   O primeiro objeto que se encontrava dentro do átrio era o altar do holocausto, peça destinada aos sacrifícios, cujo simbolismo está relacionado à cruz de Cristo no Calvário (Hb 9. 14, 22). Esse é o lugar onde o pecador deve iniciar a caminhada em direção a Deus. (2 Co 5. 21).

Sem trazer um sacrifício pelo pecado para oferecer sobre este altar não se alcançava nenhuma aceitação com Deus. Junto a esse altar o transgressor da lei encontrava-se com o sacerdote para oferecer sacrifícios a Deus a fim de expiar seus pecados e obter o perdão. (Ef 5. 2; Gl 2.20). Sem um sacrifício expiador do pecado não há perdão de Deus (Lv 6. 7; 2 Co 5. 21; Hb 7. 25; 10. 12).


C.           A Pia de bronze ou bacia para lavar. (Êxodo 30. 17 – 21) – Era o lugar de purificação, onde os sacerdotes se lavam antes de entrarem no Tabernáculo próprio. Êx 30. 17 – 21.

A bacia era de uso exclusivo dos sacerdotes, um simbolismo que trata da necessidade de purificação para servir a Deus (Is 52. 11). Os sacerdotes se lavavam por inteiro uma única vez antes de ministrarem (Lv 8. 6). Depois disso, precisavam lavar constantemente as mãos e os pés. Ou seja, um único banho e depois muitas purificações. Hoje, todos os cristãos são sacerdotes (I Pe 2. 5, 9).  Recebemos um único banho de regeneração (Jo 3. 5;  13. 10; Tt 3 .5). Porém, precisamos lavar constantemente as mãos (para servir) e os pés (para viver piedosamente; Jo 13. 10). Esse ato de lavar é realizado com a água da Palavra de Deus (Sl 119. 9 – 11; Jo 15. 3; Ef 5. 26). É o único utensílio sem medida na ordem do Tabernáculo. (Ef 5; 26, 27; Hb 10.22).  [Veja a lição].


SINOPSE DO TÓPICO (2)
No pátio do Tabernáculo localizava-se o altar dos holocaustos e a pia de bronze.


III.          O LUGAR DA HABITAÇÃO DE DEUS


1)       O Castiçal de Ouro (Êxodo 25. 31 – 40). – O Candelabro, um tipo de Cristo, nossa Luz (Jo 1. 4, 9; 8.12; 9.5), brilhando na plenitude do poder do Espírito de sete aspectos (Is 11. 2; Hb 1. 9; Ap 1. 4). A luz natural estava excluída do Tabernáculo. (Comp. I Co 2. 14, 15).

A finalidade do candeeiro era fornecer luz, que revela, purifica, sara e serve para crescimento.  – O candelabro ou castiçal, que ficava defronte da mesa no Santo Lugar, foi feito de um talento (cerca de 34 kg) de ouro batido de forma a sugerir uma amendoeira que crescia. Talvez símbolo da nova vida, a amendoeira florescia no fim de janeiro, antes de outras árvores.


A lição espiritual é: que onde existe a habitação de Deus, tudo é luz, tudo é revelado... existe cura; e há crescimento!!!!!!!

A.          O Azeite do Candeeiro. - Êxodo 27. 20

João 4. 34. A Igreja, como luz do mundo, também precisa deste Azeite especial. – As lâmpadas queimavam desde o entardecer até a manhã seguinte (Ê 27. 21; I Sm 3.3).

Aqui vemos Jesus A LUZ DO MUNDO, nosso instrutor e guia. “Eu sou a luz do mundo, quem me segue, de modo nenhum andará nas trevas”. (Jo 8. 12).

A.      Tipo da Igreja: - Vós sois a luz do mundo”. Mt 5. 14; Lc 12. 35; Fp 2. 15. Os sete candeeiros de Ap 1. 12, 13, 20; 2. 5.

Na parábola da moeda perdida (Lc 15) vemos a mulher acender a luz e varrer a sua casa. Ela representa a Igreja buscando a alma perdida à luz da Palavra. (Tem mais tipos).

2)       Os Pães da Proposição e o Altar do Incenso - (Êx 25. 30).  

Os pães eram pães asmos, tipos da sinceridade e verdade.  [I Co 5. 6-8].  A entrada para a mesa era só pelo caminho do altar.

1.  Êxodo 25. 30:  - “Pães da Proposição”.  Lit. “pães da presença”. Esses pães só podiam ser comidos pelos sacerdotes (Lv 24. 8 – 9).  A colocação cuidadosa dos doze pães (provavelmente simbolizando as doze tribos de Israel) perante o Senhor, e a ingestão dos pães pelos representantes (os sacerdotes) lembrava o povo de Israel de sua constante dependência da presença vivificante de Deus.  A proposição, um tipo de Cristo, o Pão de Deus, nutrição para a vida do cristão como sacerdote-crente (I Pe 2. 9; Ap 1. 6).   


2.       Altar do incenso - O altar de Incenso era lugar de adoração, de culto e louvor. Sacrifícios não eram oferecidos neste lugar. Esse altar era fabricado em madeira de acácia e revestido de ouro, representando a humanidade e divindade de Cristo, respectivamente. Também representa ao Cristo glorificado intercedendo por seu povo (Hb 7. 24 – 26; Ap 8. 3-4). O incenso simboliza a fragrância da pessoa e da obra de Jesus. O fogo que provinha do altar do holocausto liberava o aroma de Cristo, que ofereceu a si mesmo sem mácula a Deus.

3. O incenso era fabricado com estoraque, ônica e gálbano, combinação que resultava numa fragrância suave em memória do sacrifício de Jesus (Ef 5 .2)


4.    Tipo de Cristo em cujo Nome as nossas orações sobem a Deus. Cf: Lucas 1. 9, 10; Zacarias.

3)   O Santo dos Santos e a Arca da Aliança (Êxodo 25. 10  -22).

1.     O Santo dos Santos – o véu que protegia a entrada do Santo dos Santos representava a carne de Cristo (Hb 10. 19 – 22), rasgada em sua morte no Calvário (Lc 23. 45). Somente os sacerdotes podiam entrar no Santo lugar e somente o Sumo sacerdote podia entrar no Santo dos Santos (e apenas um dia por ano). Hoje, porém, os crentes têm acesso irrestrito à presença de Deus (Hb 10. 19 – 22).


2.    A Arca (aproximadamente 1,10 m de comprimento x 65 cm de largura x 65 cm altura. A Arca da aliança era a única peça deste compartimento sagrado. Era uma caixa de madeira forrada de ouro. Durante a peregrinação pelo deserto os sacerdotes carregavam-na sobre os ombros.  A arca simbolizava a presença de Deus no meio do seu povo.

3. Em Hebreus 10. 19, 20, vemos a gloriosa revelação profética entre o Santo dos Santo, o Senhor Jesus e o povo salvo da atualidade. O termo “santuário”, no versículo 19, é lit., no original, “santo dos santos”.



SINOPSE DO TÓPICO (3)
No interior do Tabernáculo ficava o castiçal de ouro, os pães da proposição, o altar do incenso, o Santo dos Santos e a arca da Aliança.


CONCLUSÃO: - Os israelitas, mediante o Tabernáculo, podiam aprender corretamente como achegar-se a Deus, adorá-lo, servi-lo e viver para Ele em santidade. Assim deve fazer a igreja, conforme Hebreus 10. 21 – 23. O Senhor é Santo e sem santidade nosso louvor e adoração não poderão agradá-lo.




Pra. Maria Valda - ADMEP


     Lição Elaborada pela Professora,
               Pra. MARIA VALDA
                        E-mail:pastora.mariavaldap@mail.com                          



Nenhum comentário: