BEM VINDO A TODOS!

sábado, 20 de outubro de 2012

JOIO OU TRIGO? A ESCOLHA É NOSSA!







"Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se "Mt:13-25.


SENDO JOIO
A intenção do joio é confundir. Entre milhares de plantações existentes para o seu desenvolvimento ele prefere a de seu parente, muito parecido, o trigo.

As semelhanças externas, contudo não confirmam a essência: O joio é muito inferior ao trigo. Cuidado com as aparências!
A natureza do joio é má e o parasita hospedeiro, natural à espécie, o torna muito pior, seu efeito tóxico pode até mesmo matar. O joio é o protótipo do homem maligno que se deixa influenciar por irmãos obsessores.

Joio não tolera montanhas, lugares altos. Gostam de comodidade, lugares comuns, portas largas de fácil acessibilidade.


SENDO TRIGO

“O Reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo" Mt 13:24


A primeira ressalva é de que do trigo, se obtém o alimento base de grande parte da população mundial: "O Pão". Jesus se nomeou "O Pão da vida" (Jo 6:48). Ele é o alimento principal da humanidade.
A natureza do trigo é benéfica, como a dos homens nascidos de Deus. Assim como a botânica divide as categorias de trigo pode-se também atribuir características aos cristãos. Como as partes do corpo; diferentes, porém, importantes para o conjunto (I Co 12:11-31).

A boa terra em que cresce o trigo pode ser comparada ao bom terreno do coração. A Palavra plantada frutifica (Mt 13:7,8).

O processo de industrialização (grão de trigo-farinha) elimina grande parte das vitaminas necessitando ser enriquecida(a farinha) novamente, com as substâncias que lhe foram retiradas.

A industrialização é consequência da modernidade. Antigamente, na Palestina, cada família tinha a sua própria maquilagem de fazer pão. A recomendação de Deus era para que os pães ofertados nas solenidades festivas fossem ázimos, ou seja, sem fermento (Lv 23:6). Jesus também advertiu seus discípulos sobre o perigo do fermento (Mt 16:6).


Essa industrialização do trigo pode ser comparada à vida de muitos cristãos: Alguns inicialmente são genuínos, sóbrios, agradáveis a Deus, depois perdem a identidade, não suportam a sã doutrina (sem fermento) e se voltam às fábulas, desviando-se da Verdade (II Tm 4:3,4).


O fermento, porém, independente da modernidade, assim como o joio sempre existiu no seio da igreja e sempre existirá seja em pequena ou grande proporção, porém, cabe a cada um ouvir e obedecer às recomendações de Jesus sobre ambos: "Acautelai-vos do fermento"(Mt 16:6) e "sede prudente com o joio" (Mt 13: 28-30).

Sempre, também, haverá tempo para recompor as "vitaminas perdidas", "arrepender-se e voltar ao primeiro amor" (Ap 2:4,5).


O AGRICULTOR

"Senhor, não semeaste tu, no teu campo, boa semente? Por que tem então joio? E Ele lhes disse: O inimigo é quem fez isso" Mt 13:27,28.

Deus criou o homem com a natureza boa, assim como o trigo, só que "ao dormir o homem", e esse homem foi Adão, o inimigo, a serpente enganadora, semeou também o joio, a natureza maligna e pecaminosa de Satanás. A mesma natureza que ainda habita nos que ainda não nasceram de novo em Cristo Jesus.

Deus É o Agricultor (Jo 15:1). Somente Ele com propriedade, podem distinguir sem dificuldade quem é joio e quem é trigo. Ele também é quem ordena o destino da plantação: "Deixai crescer ambos até a ceifa: e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colha primeiro o joio e atai-o em molhos para queimá-lo; mas o trigo, ajuntai-o no meu celeiro" Mt 13:30. "Meu celeiro" é a glória celeste, a fogueira é no inferno.

Embora na agricultura tenha-se uma visão muito clara do que seja joio e trigo, na vida pessoal isso se torna muito difícil. Os frutos nem sempre estão à mostra (podem se esconder em folhagens) e alguns podem estar à mostra e serem totalmente insípidos. Um agricultor saberá avaliar tudo muito bem, assim como Deus, só Ele conhece os verdadeiros cristãos.

Ficam aqui as indagações: Estamos sendo joio ou trigo? Estamos sendo prudentes ou precipitados? Nossa vida Cristã é com fermento ou sem fermento? Estamos aguardando o agricultor para a colheita e separação do joio e do trigo ou estamos arrancando os dois juntos? ou melhor, estamos preparados para a grande colheita?

Bíblia Sagrada, Almeida J. F., SBTB, Revista e corrigida.
Enciclopédia Universo.


O QUE SE ENTENDE POR ESSA PARÁBOLA DO JOIO?

joio – do grego zizanion (cizânia) significava uma gramínea anual que parecia muito com trigo até que amadurecesse.

2COMO ESTÁ POSTA ESTA PARÁBOLA?

"Outra parábola lhes propôs, dizendo: O reino dos céus é semelhante a um homem que semeou boa semente no seu campo; mas, enquanto os homens dormiam, veio o inimigo dele, semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. E, quando a erva cresceu e produziu fruto, apareceu também o joio. Então, vindo os servos do dono da casa, lhe disseram: Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde vem, pois, o joio? Ele, porém, lhes respondeu: Um inimigo fez isso. Mas os servos lhe perguntaram: Queres que vamos e arranquemos o joio? Não! replicou ele, para que, ao separar o joio, não arranqueis também com ele o trigo. Deixai-os crescer juntos até à colheita, e, no tempo da colheita, direi aos ceifeiros: Ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para ser queimado; mas trigo, recolhei-o no meu celeiro." (Evangelho segundo São Mateus 13:24-30)

3) O QUE PODEMOS DIZER ACERCA DO REINO DOS CÉUS?

O "reino dos céus" é uma figura de linguagem usada por Jesus. Não se refere a um lugar circunscrito, mas ao estado de espírito daqueles que põe em prática as leis naturais impressas por Deus em nossa consciência, notadamente a lei de justiça, amor e caridade.

4) COMO INTERPRETAR A SEMEADURA DO TRIGO?

É uma continuação da "parábola do semeador". Na parábola do semeador, há uma situação hipotética, em que a semente cai em terrenos de diversas qualidades. Aqui, há um tipo específico de semente, a do trigo. Com o trigo podemos fazer farinha, e da farinha, o pão, o macarrão etc. É um produto necessário à manutenção da vida humana. Devemos associá-lo ao bem.

5) OS TRABALHADORES DORMIRAM POR NEGLIGÊNCIA?

Os trabalhadores do campo adubaram a terra, cavaram os buracos, jogaram as sementes de trigo e cuidaram de regar as plantinhas tenras. Depois desse esforço, foram dormir descansar pelo dia trabalhado. Os inimigos, porém, esperaram a noite vir, trabalharam no escuro e jogaram a erva daninha. É um chamamento à vigilância. "É pelo descuido do lavrador que a colheita se perde, é pelo descuido do professor que o aluno se torna ocioso, é pelo descuido da educação que os delinquentes juvenis surgem. Assim, para que o bem se conserve e se dilate haverá necessidade de esforço constante".

6) DEVEMOS ARRANCAR O JOIO OU DEIXÁ-LO CRESCER COM O TRIGO?

Nesta parábola, o joio deve crescer junto com o trigo. Por quê? Porque estas ervas são parecidas. Caso tencionássemos tirar o joio, poderíamos, por engano, arrancar também o trigo. Neste caso, Jesus está nos dizendo que o mal deve conviver com o bem, sem, contudo, que o bem seja conivente com o mal. O mal deve ser sempre combatido. Há, porém, a necessidade de esperar o momento certo, pois qualquer coisa que é feita fora de hora pode não produzir os seus frutos.

7) A QUE NOS REMETE ESTA PARÁBOLA?

Esta parábola remete-nos à lei de causa e efeito. Todos somos livres para semear; a colheita, porém, é  obrigatória. Podemos semear tanto o trigo quanto o joio. É como a opção entre o bem e o mal. Se nossos atos optarem pela prática do bem, a recompensa futura será mais liberdade; caso optemos pelo mal, estaremos prisioneiro do mesmo.

8) A CONDIÇÃO HUMANA ESTÁ MAIS PARA O TRIGO OU PARA O JOIO?

O mal é inerente à imperfeição humana. Na Terra, somos todos mais ou menos imperfeitos; por isso, a necessidade de compaixão de uns para com os outros. A convivência com o mal é a resignação da alma ante uma situação irremediável. O homem de bem deve combater o mal, mas sempre de acordo a mansuetude; a guerra e a violência podem produzir mais guerra e violência.  





Nenhum comentário: