BEM VINDO A TODOS!

sábado, 27 de outubro de 2012

A FORÇA DA GRATIDÃO


Pesquisas recentes confirmam: expressar esse sentimento é um dos principais segredos para se levar uma vida saudável e feliz
Talita Boros

Existem diversas formas de perceber e interpretar a vida. Entre emoções positivas e negativas, a maioria das pessoas – para não dizer todas – busca a felicidade. Ao estudar a forma de alcançar esse estado de espírito, especialistas se depararam com um elemento anteriormente considerado secundário: a gratidão. Além de ser aliada a outras emoções positivas, esse sentimento envolve o reconhecimento do ato de fazer o bem e de também encontrar essa virtude no outro.

Robert Emmons, professor de psicologia da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, um dos maiores especialistas no estudo sobre gratidão, explica que pessoas gratas têm uma visão de que tudo que possuem na vida é um presente, o que as leva a interpretar as experiências de forma diferente. “Elas são menos propensas a sentir inveja, raiva, ressentimento, arrependimento e outros sentimentos desagradáveis que geram estresse e frustram as emoções positivas”, explica, em entrevista à Folha Universal. “Além disso, as pessoas gratas se sentem melhor com relação a si mesmas e são mais conectadas aos outros. Elas produzem felicidade”, diz.

A dona de casa Ilair Pereira de Souza, de 53 anos, passou por momentos difíceis no começo deste ano, durante as enchentes que atingiram a Região Serrana do Rio de Janeiro. Socorrida por vizinhos com uma corda, enquanto sua casa era levada por uma enxurrada, Ilair afirma que agradece todos os dias a atitude de quem lhe deu a vida novamente. “Quando eu subi naquela laje, Deus subiu comigo. E, graças a Ele, o Daniel e o Gilberto estavam lá para me salvar”, conta. O resgate de Ilair foi registrado em tempo real por um cinegrafista e emocionou o País (leia mais sobre o salvamento da dona de casa).

Quem pensa que só dá para expressar a gratidão a uma pessoa, se enganou. Estudiosos explicam que também é possível ser grato a um momento, à vida, a um lugar. De uma forma ou de outra, o sentimento vai lhe fazer bem. E foi exatamente a paixão por Barcelona, na Espanha, que fez o designer Lucas Jatobá, de 29 anos, homenagear de uma maneira criativa a cidade. “Quis agradecer Barcelona e a todos que moram lá, porque acredito que o que faz um lugar especial são as pessoas. Então, não queria me despedir apenas dos meus amigos. Queria fazer algo que pudesse ser recebido e admirado por qualquer pessoa na cidade, mesmo aquelas que eu nunca teria a oportunidade de conhecer”, lembra Jatobá (conheça detalhes da homenagem dele).

Para Todd Kashdan, professor de psicologia da Universidade George Mason, nos Estados Unidos, e estudioso do tema da felicidade, atos de gratidão não só fazem as pessoas se sentirem bem, como também fortalecem laços. “E isso ocorre não apenas com a pessoa que deu a ajuda, mas com o mundo como um todo. Ao receber apoio, lembramos que o mundo é um lugar de compaixão. E quando passamos por uma situação de estresse, podemos facilmente nos lembrar dos momentos que alguém nos ajudou quando precisamos”, explica.



(Assista ao vídeo da homenagem que o paulistano Lucas Jatobá fez para agradecer a temporada em Barcelona, na Espanha)

Segundo o especialista, quanto mais as pessoas pensarem em quem lhes estendeu a mão, mais forte fica a conexão no cérebro e a superação em tempos difíceis se torna mais fácil.

É o que acontece com o sentimento de gratidão do aposentado João Batista da Silva, de 54 anos. Como o agradecimento não pôde ser realizado pessoalmente, ele mentaliza coisas boas para o desconhecido e a família de quem lhe deu a chance de viver bem novamente. Silva precisava de um transplante de rim, mas tinha perdido as esperanças de encontrar um doador compatível depois que o irmão não aceitou ajudá-lo. “Estava tudo pronto para o transplante, mas meu irmão desistiu. Os exames de compatibilidade estavam todos certos. Estávamos praticamente indo para a internação e ele não quis mais. Fiquei muito revoltado”, lembra (leia como termina essa história). 

O sentimento é velho conhecido de muitas religiões e sempre foi considerado como virtude. Agora, componente básico da saúde, da integridade e do bem-estar, a gratidão vem despertando um interesse científico cada vez maior, endossado por estudos que apontam para uma relação sólida entre ser grato e sentir-se bem. “Pessoas gratas normalmente se sentem melhor com o corpo, além de cuidarem melhor da dieta. Elas também praticam 33% mais exercícios por semana e dormem meia hora a mais por noite”, explica Emmons, que realizou estudos detalhados sobre o perfil das pessoas que manifestam gratidão. Segundo o pesquisador, as emoções positivas que provêm da gratidão também trazem benefícios diretos para o sistema imunológico.

As pessoas gratas são menos agressivas e nutrem empatia e compaixão pelos outros. “Normalmente elas são ótimos amigos, amantes e colegas de trabalho devido à sua preocupação com o bem-estar dos outros”, explica Kashdan. Além disso, outras características fundamentais das pessoas que expressam reconhecimento são otimismo, admiração e humildade.


Lia Beatriz de Lucca Freitas, professora do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul é outra especialista no assunto. Segundo ela, pesquisas recentes realizadas com adultos indicam que indivíduos que expressam mais gratidão têm menores níveis de depressão e estresse. “Além disso, resultados de estudos sugerem que a prática consciente de vivenciar e expressar gratidão é um exercício viável para aumentar o bem- estar”, explica a especialista.

Apesar de a maioria das pesquisas terem sido realizadas com adultos, as feitas com crianças e adolescentes sugerem que a gratidão também pode trazer benefícios. “Os jovens que expressam gratidão são menos materialistas (o materialismo entre jovens tem sido associado, por exemplo, à ansiedade e depressão) que aqueles que não o fazem. Eles também ficam mais motivados a ajudar outras pessoas e a contribuir com a sociedade”, afirma.


Fonte: Folha universal

Nenhum comentário: